terça-feira, 7 de setembro de 2004

CLUBE DE POLÍTICA PROPÕE MELHOR APOIO AO INVESTIMENTO DOS EMIGRANTES

O Clube de Política Via Activa , de que fazem partem inúmeros dirigentes, militantes e simpatizantes do PS do Distrito de Santarém, mas que conta nos seus fundadores e aderentes cidadãos de todo o País, reuniu no nosso Distrito no passado Domingo, tendo havido a seguinte nota de Imprensa:

Clube de política Via Activa quer mais investimentos de emigrantes

O clube do PS Via Activa defendeu hoje uma política concertada do país para cativar investimentos dos emigrantes portugueses, que não possuem canaisadequados para aplicar o seu dinheiro.

A solução passa pela criação de redes de investimento fora dos grandescentros, respondendo à vontade dos emigrantes, disse António Gameiro,porta-voz deste clube de política recentemente criado e que reúne hoje emFátima.

Os socialistas defendem que a Caixa Geral de Depósitos articule com aAgência Portuguesa para o Investimento uma política de informação para os emigrantes que querem investir em Portugal e não sabem como.

Os membros deste clube, que reúne cerca de duas centenas de jovens quadros médios e superiores, consideram que as remessas de depósitos dos emigrantes têm os dias contados, sendo necessário mostrar soluções de investimento noterreno em vez de simples soluções financeiras sem rentabilidade.

Segundo António Gameiro, há muitos emigrantes que querem investir no interior do país mas não sabem como, nem de que forma.Esta solução iria permitir contrariar a dependência do país de investimentoestrangeiro de multinacionais sem rosto e sem qualquer ligação a Portugal.

Nenhum país pode dar-se ao luxo de desperdiçar as verbas de mais de cinco milhões de emigrantes, nota, por seu turno, Ricardo Saldanha, outro elemento do Clubede Política.

Na sua primeira reunião, os dirigentes do clube Via Activa defenderam que o Governo trate o problema das listas de espera como uma verdadeira prioridade, recorrendo a todas as soluções possíveis como seria o caso decontratação de médicos ou instituições de outros países da União Europeia.

O Via Activa defende também um Estado mais descentralizado e mais próximo dos cidadãos, afirmando que esta questão não tem sido uma preocupação doactual Governo.Exemplo disso é a reduzida aposta nas Lojas do Cidadãos por parte da tutela,que não inaugurou nenhuma nova estrutura do género desde 2001, considerouAntónio Gameiro.

Hoje à tarde, vai ser votada a moção do Via Activa ao Congresso sobre desenvolvimento regional e descentralização, estando ainda prevista acriação de uma página de debate na internet para apresentar trabalhossectoriais sobre o país.

A criação deste clube visa pressionar a direcção do PS a cumprir políticas assumidas na oposição em caso de vitória, pelo que serão criados grupos detrabalho para estudar medidas práticas para os problemas do país e bolsas de quadros com acompanhamento dos currículos para integrar futuros Governos socialistas.

Agência LUSA 2004-09-05 14:40:00