quarta-feira, 29 de setembro de 2004

MOÇÃO DO DISTRITO AO CONGRESSO NACIONAL

A Federação de Santarém apresenta ao Congresso Nacional a sua Moção sectorial, onde recoloca a visão dos socialistas do distrito sobre a organização social, económica e territorial.


"O conceito de Desenvolvimento Regional é hoje visto com base num paradigma territorialista. Uma estratégia de desenvolvimento regional não pode ser dissociada do território e das suas inerentes características - é a partir dele que se devem construir as estratégias políticas de actuação...."

Veja toda a Moção

segunda-feira, 27 de setembro de 2004

RESULTADOS FINAIS DO CONGRESSO

Resultados finais nas Secções do Distrito de Santarém para o Congresso Nacional:

Eleição para Secretário-geral

Inscritos: 2226
Votantes: 1057 - 47,5%
Brancos: 6
Nulos: 3

Manuel Alegre: 234 - 22,3%
João Soares: 42 - 4,0%
José Sócrates: 772 - 73,7%

Nota: Na Secção de Azinhaga não se realizaram eleições (35 inscritos)


Eleição de Delegados ao Congresso

Inscritos: 2226
Votantes: 1051 - 47,2%
Brancos: 34
Nulos: 17

Listas A - Manuel Alegre: 226 - 11 Delegados - 23,4%
Listas B - João Soares: 30 - 1 Delegado - 2,1%
Listas C - José Sócrates: 740 - 35 Delegados - 74,5%
Lista J - Profírio Silva: 5 - 0 Delegados

Nota: Não se realizaram eleições nas Secções de Mouriscas e Azinhaga (62 militantes)

Todos os resultados por Secção, podem ser consultados aqui

sexta-feira, 24 de setembro de 2004

CONCURSO DE PROFESSORES E EDUCADORES - 2004/2005

«TEMPORARIAMENTE INDISPONÍVEL. PEDIMOS DESCULPA PELO INCÓMODO.»

São estas as frases que cerca de 50 000 professores mais leram nos últimos tempos em que indefinidamente aguardam pelos resultados «definitivos» de um Concurso de que não há memória. As cerca de 30 000 reclamações a que a anterior publicação das listas deram origem comprovavam uma dimensão de erros que pareciam ficar sem rectificação, persistindo ainda hoje a incapacidade de regularizar as situações e colocar os professores.

A Federação do PS de Santarém está indignada e lamenta toda esta « novela» que seria triste se fosse ficção mas que passa a ser dramática porque é real, afectando milhares de professores e alunos e respectivas famílias.

Mais de 50% dos Estabelecimentos de Ensino reconheceram e bem que não estavam reunidas as condições para que o ano lectivo iniciasse com a normalidade necessária. Os que assim não pensaram garantiram a abertura dos respectivos estabelecimentos mas o início das actividades lectivas está comprometido considerando a mobilidade de docentes que os resultados das colocações vão originar. Os alunos são recebidos por muitos professores provisoriamente pois assim que tiverem a sua colocação definitiva partem para a respectiva escola.

É verdade que a Srª Ministra teve uma herança «envenenada» do seu antecessor David Justino que em conjunto com a sua equipa vai ser recordado como o Ministro que mais mal fez à Educação. Supostamente seria difícil fazer tanto mal em tão pouco tempo de permanência no Ministério. Mas também é verdade que a actual Ministra tinha por obrigação saber o que a aguardava quando assumiu as responsabilidades ao aceitar ser Ministra da Educação deste (Des) Governo.

Deve agora contribuir para a resolução do problema urgentemente. Exigimos que finalmente saiba avaliar a situação e que respeite os portugueses, avançando com datas que tenha a certeza que vai cumprir. Como é possível não ter já assumido posições públicas de transparência continuando a manter a data limite de abertura do ano lectivo para o dia 23 de Setembro quando a 21 de Setembro o porta voz do Mistério diz « não se quererem comprometer com nova data » para os resultados do Concurso. Só depois do Ministério cumprir o seu trabalho há condições para as escolas assumirem o arranque das actividades lectivas.

Grave também é o facto de escolas, professores e famílias terem conhecimento da evolução dos acontecimentos apenas através da comunicação social.

Como se não bastassem equipas Ministeriais incompetentes, Modelos de Concurso mal implementados, Programas Informáticos ineficazes e uma deficiente operacionalização de todo o sistema temos ainda que enfrentar os retrocessos que se dão na imagem da escola e dos professores. Como estão os alunos e as respectivas famílias a avaliar este caos?

Mais importante do que procurar pôr já cabeças a rolar e arranjar bodes expiatórios, é resolver os problemas e levar as conclusões do Inquérito que ainda está a decorrer até às últimas consequências com o apuramento das responsabilidades técnicas e políticas e respectivas penalizações, seja a quem for.

A sociedade precisa de Escolas e de Educação com qualidade. Precisamos de vários parceiros que se envolvam para o conseguirmos mas também precisamos de um Ministério que contribua para esse objectivo e que não nos arraste na ângústia e no desânimo para o último lugar dos países da União Europeia.

segunda-feira, 20 de setembro de 2004

MOÇÃO SECTORIAL AO CONGRESSO

A Comissão Política Distrital de Santarém discutiu no passado Sábado a sua Moção Sectorial ao Congresso.

"O conceito de Desenvolvimento Regional é hoje visto com base num paradigma territorialista. Uma estratégia de desenvolvimento regional não pode ser dissociada do território e das suas inerentes características - é a partir dele que se devem construir as estratégias políticas de actuação...."

Veja toda a Moção , e dê o seu contributo para melhoria dela atá ao próximo dia 25 de Setembro - aqui

terça-feira, 7 de setembro de 2004

Perante a INCOMPETÊNCIA do Ministério da Educação… que nos valha o PROFISSIONALISMO dos Professores!

Como é possível tanta incompetência e irresponsabilidade na colocação de Professores por parte do Ministério da Educação?

São milhares de Professores e respectivas Famílias que têm visto com ansiedade e desânimo a sua vida pessoal e situação profissional serem tratados sem dignidade. É assim que se aposta na Educação e que se apela à qualidade no Ensino?

Numa altura em que as Escolas deviam estar a organizar o início do Ano Lectivo, ainda estão horários por fazer ou refazer e planificações por executar, considerando que as Equipas de Professores não estão completas por ainda aguardarem os resultados de milhares de colocações que ainda faltam fazer.

A maioria das Escolas irá abrir na data limite imposta que é a 23 de Setembro, mas todos prevêem (menos a Ministra da Educação) que o Ano Lectivo está seriamente comprometido.

Os Alunos e as respectivas Famílias apenas poderão contar com os Professores colocados, que mesmo sem serem respeitados, trabalham com amor à sua profissão. Lamentavelmente muitos ficarão no desemprego como se Sistema Educativo não precisasse de mais recursos, considerando que na maioria dos casos, o elevado número de Alunos por turma em nada contribui para o sucesso Educativo.

O PS também aguarda, os resultados da Auditoria solicitada pelo próprio Ministério em Maio, à Inspecção Geral de Finanças para explicar o sucedido, cuja conclusão se prevê apenas para Novembro. Esperamos por isso que, pelo menos as responsabilidades sejam assumidas e que os mesmos erros não voltem a acontecer.


O Departamento da Educação da Federação Distrital Santarém do PS

CLUBE DE POLÍTICA PROPÕE MELHOR APOIO AO INVESTIMENTO DOS EMIGRANTES

O Clube de Política Via Activa , de que fazem partem inúmeros dirigentes, militantes e simpatizantes do PS do Distrito de Santarém, mas que conta nos seus fundadores e aderentes cidadãos de todo o País, reuniu no nosso Distrito no passado Domingo, tendo havido a seguinte nota de Imprensa:

Clube de política Via Activa quer mais investimentos de emigrantes

O clube do PS Via Activa defendeu hoje uma política concertada do país para cativar investimentos dos emigrantes portugueses, que não possuem canaisadequados para aplicar o seu dinheiro.

A solução passa pela criação de redes de investimento fora dos grandescentros, respondendo à vontade dos emigrantes, disse António Gameiro,porta-voz deste clube de política recentemente criado e que reúne hoje emFátima.

Os socialistas defendem que a Caixa Geral de Depósitos articule com aAgência Portuguesa para o Investimento uma política de informação para os emigrantes que querem investir em Portugal e não sabem como.

Os membros deste clube, que reúne cerca de duas centenas de jovens quadros médios e superiores, consideram que as remessas de depósitos dos emigrantes têm os dias contados, sendo necessário mostrar soluções de investimento noterreno em vez de simples soluções financeiras sem rentabilidade.

Segundo António Gameiro, há muitos emigrantes que querem investir no interior do país mas não sabem como, nem de que forma.Esta solução iria permitir contrariar a dependência do país de investimentoestrangeiro de multinacionais sem rosto e sem qualquer ligação a Portugal.

Nenhum país pode dar-se ao luxo de desperdiçar as verbas de mais de cinco milhões de emigrantes, nota, por seu turno, Ricardo Saldanha, outro elemento do Clubede Política.

Na sua primeira reunião, os dirigentes do clube Via Activa defenderam que o Governo trate o problema das listas de espera como uma verdadeira prioridade, recorrendo a todas as soluções possíveis como seria o caso decontratação de médicos ou instituições de outros países da União Europeia.

O Via Activa defende também um Estado mais descentralizado e mais próximo dos cidadãos, afirmando que esta questão não tem sido uma preocupação doactual Governo.Exemplo disso é a reduzida aposta nas Lojas do Cidadãos por parte da tutela,que não inaugurou nenhuma nova estrutura do género desde 2001, considerouAntónio Gameiro.

Hoje à tarde, vai ser votada a moção do Via Activa ao Congresso sobre desenvolvimento regional e descentralização, estando ainda prevista acriação de uma página de debate na internet para apresentar trabalhossectoriais sobre o país.

A criação deste clube visa pressionar a direcção do PS a cumprir políticas assumidas na oposição em caso de vitória, pelo que serão criados grupos detrabalho para estudar medidas práticas para os problemas do país e bolsas de quadros com acompanhamento dos currículos para integrar futuros Governos socialistas.

Agência LUSA 2004-09-05 14:40:00

segunda-feira, 6 de setembro de 2004

DEBATE ENTRE OS MANDATÁRIOS DISTRITAIS

A Federação do PS organiza no Sábado, dia 18 de Setembro, um debate sobre o Congresso Nacional, pelas 18H00, na Sede da Federação, entre os três mandatários distritais das diferentes candidaturas.

Estarão presentes:
Candidatura de Manuel Alegre - Jorge Lacão, em representação do mandatário distrital Nelson Baltazar
Candidatura de José Sócrates - Nelson Carvalho
Candidatura de João Soares - António Mendes


Comissão Política Distrital

No mesmo dia reune a Comissão Política Distrital, pelas 15H00, na sede da Federação, com a seguinte ordem de trabalhos:

1 - Informações;
2 – Apresentação e Discussão de Moção Sectorial da Federação Distrital de
Santarém ao XIV Congresso Nacional.

sexta-feira, 3 de setembro de 2004

Informações do Congresso Nacional

A Federação do PS de Santarém, está apostada em que tudo corra na maior normalidade nas eleições internas para Delegados ao Congresso e para Secretário-geral, pelo que todas as secções devem de informar da data - 24 ou 25 de setembro, em que se realizam as respectivas eleições, não esquecendo que tem a urna de voto que estar aberta no mínimo de 4 horas seguidas.

Devem para esse efeito contactar os camaradas:
Fernando Pratas - 937.691.004
Catarina Campos - 918.254.399
Ferreira Marques - 962.738.338

O Secretariado da Federação relembra que só podem votar os camaradas com as quotas em dia, pelo que:
1 - Nas Secções em que exista protocolo celebrado, o pagamento pode ser efectuado no momento do voto - ou da entrega da Lista de delegados, devendo os montantes recebidos ser entregues na sede nacional com o resultado eleitoral e respectiva documentação (Acta e Lista de votantes assinada).
2 - Nas restantes Secções a votação só se poderá fazer mediante a apresentação do respectivo recibo da sede nacional ou do talão do multibanco.